NOTA DE REPÚDIO DO CRP/SP

por difama

CRP SP divulga nota em que repudia atitude de agentes do poder público

Em maio, aconteceu na Câmara dos Deputados, em Brasília, o 9º Seminário LGBT: sexualidade, papéis de gênero e educação na infância e adolescência, organizado pelas Comissões de Direitos Humanos e Minorias e Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, e contou, pela primeira vez, com o apoio e organização de duas Frentes Parlamentares Mistas: pela Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais e de Direitos Humanos da Criança e do Adolescente. Entre os (as) participantes da atividade, estava Tatiana Lionço, doutora em Psicologia, professora de graduação e mestrado em Psicologia do UniCEUB e membro-fundadora da Cia. Revolucionária Triângulo Rosa. Ocorre que, recentemente, representantes de setores conservadores da Câmara descontextualizaram as falas de Tatiana durante o Seminário para desqualificar sua figura e seus posicionamentos políticos sobre o tema da diversidade sexual, e esta fala distorcida tem sido replicada na internet. Por isso, o CRP SP publica nota em que repudia tal atitude que acaba por incentivar o preconceito por orientação sexual e identidade de gênero. 

Leia a seguir a íntegra da nota:

 

NOTA DE REPÚDIO DO CRP/SP

O Conselho Regional de Psicologia de São Paulo e o Conselho Federal de Psicologia vem publicamente manifestar seu repúdio a situações em que agentes do poder público, buscando justificar posturas discriminatórias e argumentos contra políticas públicas que respeitem a diversidade sexual, utilizam-se de pronunciamentos de pesquisadores (as) e militantes na área das sexualidades e dos gêneros, distorcendo seus conteúdos. Agravam-se estas situações, considerando que tais figuras públicas pronunciam-se a partir de suas crenças religiosas e, portanto, de caráter privado, desrespeitando assim o princípio da laicidade do Estado brasileiro.

Lamentamos profundamente que o trabalho de pessoas que dedicam suas vidas à defesa dos Direitos Humanos seja tratado de forma tão irresponsável, o que acaba por fomentar a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.

Reiteramos o compromisso da Psicologia em colaborar para a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. Desta forma, incentivamos e apoiamos a atuação de psicólogos (as) que se debruçam sobre a temática, a partir de um olhar pautado pelo respeito à diversidade sexual, visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades. 

originalmente publicado em : http://www.crpsp.org.br/portal/midia/fiquedeolho_ver.aspx?id=515

Anúncios